• Conquistah Consultoria Psicológica

Dicas de como ajudar uma pessoa com deficiência


Esse artigo está baseado na vivência do dia a dia de uma pessoa com deficiência física e que que já passou por maus bocados, pela desinformação das pessoas de como ajudar sem prejudicar.


Quando encontrarmos uma pessoa com deficiência auditiva, visual, física, intelectual e mental, na rua, no banco, no metrô, nos ônibus, farmácias, supermercados, clínicas médicas/ fisioterápicas, lancemos a seguinte pergunta “Como posso ajudar?”.


Então, para que possamos ser mais assertivos na nossa ajuda, resolvi escrever essas dicas, nas quais estão separadas por Deficiências, são elas:


Pessoa com Deficiência Auditiva/Muda


. Fale normalmente com a pessoa, exceto se pedirem que fale mais alto. Não grite.

. Fale de frente para ela (não de lado, ou atrás). Faça com que sua boca esteja bem visível.

. Procure não ficar contra a luz, isso dificulta ver seu rosto.

. Deixe sua boca totalmente visível. Não segure nada em frente a boca.

. Seja espontâneo ao expressar-se. Não gesticule excessivamente.

. Se quiser chamar a atenção de uma pessoa com deficiência auditiva e para que essa mantenha o contato com você, acene para ela, ou toque-a levemente.

. Fale de forma clara, pronuncie bem as palavras, mas não exagere.

. Se souber LIBRAS, tente usar, mesmo que um pouco (caso a pessoa com deficiência auditiva não entenda, sinalize a ela).

. Mantenha contato visual direto.

. Se a pessoa com deficiência auditiva tiver má dicção, você pode delicadamente pedir que repita.

. Se precisar, no trabalho ou na escola, comunique-se por bilhetes.

. Respeito ao outro é essencial, se a pessoa estiver acompanhada, tente comunicar-se com ela e não passar recado por terceiros, salvo estritamente necessário.

. Cuidado com o termo surdo-mudo. Inapropriado!

Pessoa com Deficiência Visual

. Não force a ajuda.

. Evite andar sobre o piso tátil.


. Evite ficar no celular enquanto anda.


. Coloque a mão da pessoa no seu cotovelo dobrado. Ela irá acompanhar o movimento do seu corpo enquanto você vai andando. Num corredor estreito, por onde só é possível passar uma pessoa, coloque o seu braço para trás, de modo que a pessoa cega possa continuar seguindo você.


. Avise antecipadamente, sobre a existência de degraus, pisos escorregadios, buracos e outros obstáculos durante o trajeto.


. Ao explicar direções, seja o mais claro e específico possível; de preferência, indique as distâncias em metros (“uns vinte metros à nossa frente”, por exemplo). Quando for afastar-se, avise sempre.


. Algumas pessoas, sem perceber, falam em tom de voz mais alto quando conversam com pessoas cegas. A menos que ela tenha, também, uma deficiência auditiva que justifique isso, não faz nenhum sentido gritar. Fale em tom de voz normal.


. Não brinque com um cão-guia, pois ele tem a responsabilidade de guiar o dono que não enxerga e não deve ser distraído dessa função.

. As pessoas cegas ou com visão subnormal são como você, só que não enxergam. Trate-as com o mesmo respeito e consideração dispensados às demais pessoas.


. No convívio social ou profissional, não as exclua das atividades normais. Deixe que elas decidam como podem ou querem participar.


. Fique à vontade para usar palavras como “veja” e “olhe”, pois as pessoas com deficiência visual as empregam com naturalidade.


Pessoa com Deficiência Física

. É importante perceber que para uma pessoa com deficiência física sentada ou numa cadeira de rodas é incômodo ficar olhando para cima por muito tempo. Portanto, ao conversar por mais tempo que alguns minutos, sente-se na mesma altura para que você e ela fiquem com os olhos no mesmo nível.

. As bengalas e muletas são extensão corporal da pessoa com deficiência física, não faça brincadeiras de puxar ou dar um pontapé, ela pode se desequilibrar e cair.

. Ao ajudá-las a sentar sempre deixe as bengalas e muletas próximas a elas.

. As cadeirantes, procure não apoiar em suas cadeiras, fica desagradável.

. Ao empurrar uma pessoa em cadeira de rodas, faça-o com cuidado. Preste atenção para não bater naqueles que caminham à frente. Se parar para conversar com alguém, lembre-se de virar a cadeira de frente para que a pessoa também possa participar da conversa.

. Se a pessoa com deficiência física estiver subindo uma escada, faça a pergunta de como posso ajudar, mas se ela disser não entenda. Elas já possuem técnicas individuais para subir escadas, por exemplo, e, às vezes, uma tentativa de ajuda inadequada pode até atrapalhar.

. Se você presenciar um tombo de uma pessoa com deficiência física, ofereça-se imediatamente para auxiliá-la. Mas sem antes perguntar se ela quer ajuda.

. Esteja atento para a existência de barreiras arquitetônicas quando for escolher uma casa, restaurante, teatro ou qualquer outro local que queira visitar com uma pessoa com deficiência física.

Não se acanhe em usar termos como “andar” e “correr”. As pessoas com deficiência física empregam naturalmente essas mesmas palavras.


4 - Pessoa com Deficiência Intelectual

. Você deve agir naturalmente ao dirigir-se a uma pessoa com deficiência intelectual.

. Trate-a com respeito e consideração. Se for uma criança, trate-a como criança. Se for adolescente, trate-a como adolescente, e se for uma pessoa adulta, trate-a como tal.

. Não a ignore. Cumprimente e despeça-se dela normalmente, como faria com qualquer pessoa.

. Dê-lhe atenção, converse e verá como pode ser divertido. Seja natural, diga palavras amistosas.

. Não superproteja a pessoa com deficiência intelectual. Deixe que ela faça ou tente fazer sozinha tudo o que puder. Ajude apenas quando for realmente necessário.

. Não subestime sua inteligência. As pessoas com deficiência intelectual levam mais tempo para aprender, mas podem adquirir muitas habilidades intelectuais e sociais.


5 – Pessoa com Deficiência Mental

. Não demonstre pena nem trate essas pessoas como se fossem coitadinhos. A grande maioria dos deficientes mentais têm uma enorme força e vontade de viver e gostam de ser tratados com igualdade.


. Quando estiver conversando com um deficiente mental fale de coisas perfeitamente normais e não tenha receio do que diz. A maioria dos deficientes são pessoas muito bem-dispostas e com um grande sentido de humor.


. Cumprimente um deficiente mental da mesma forma que as restantes pessoas e evite proteger em demasia essa pessoa. Ou seja, ajude essas pessoas nas tarefas onde realmente existe essa necessidade. Por exemplo, se a pessoa com deficiência mental quiser fazer um pedido no café, deixe-a falar e não há limite.


. Uma pessoa com deficiência mental tem os mesmos sonhos, os mesmos objetivos, os mesmos receios e gosta de fazer as mesmas coisas que uma pessoa comum faz. Por isso, se porventura acontecer alguma situação embaraçosa, não entre em pânico. Uma boa conversa, calma e assertiva, com uma boa dose de humor à mistura certamente resolve a situação e vocês estão prontos para prosseguir o que estavam fazendo.


. Não se esqueça, trate um deficiente mental como trata as restantes pessoas, de forma natural e ajudando sempre que houver necessidade.

Espero que este pequeno artigo, tenha elucidado os tipos de abordagens a qual devemos seguir tanto para pessoa que quer ajudar assim como para as pessoas com deficiências ajudadas, e nessa soma sempre atingimos um patamar de amor e grande respeito.


Eliana Aparecida Conquista

Psicóloga Clínica CRP/SP 06/42.479





. . .

Conquistah Consultoria Psicológica

✆ +55 (11) 98904.5112

www.conquistahconsultoriapsicologica.com CNPJ 36.586.648/0001-39 - CRP/SP 06/8377J

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo