• Conquistah Consultoria Psicológica

O QUE É RAIVA, O QUE ELA PODE CAUSAR EM NOSSO CORPO E COMO LIDAR COM ELA.



Raiva é uma emoção que aparece com muita frequência em nosso dia a dia.

No Dicionário da Língua Portuguesa, encontramos o seguinte significado da palavra “raiva”: Comportamento repleto de fúria, demonstrado pelo excesso de agressividade; ira: falar com raiva; sentimento de irritação; expressão de aversão ou relutância; frustração: “raiva da empresa em que trabalha!” … Do latim rabia; rabies. (https://www.dicio.com.br › raiva)

Segundo a definição médica a raiva é um sentimento que está ligado aos sistemas nervoso central e periférico com o sistema endócrino. Assim, ficamos mais atentos, com as pupilas dilatadas. O cérebro libera o hormônio Cortisol que gera baixa imunidade, o que pode provocar tudo o que a pessoa estiver predisposta a ter: gastrite, úlcera, alteração na pressão arterial, problemas cardiovasculares e psicológicos.

As causas da raiva podem estar relacionadas a fatores internos, tais como: traumas do passado; abusos (físicos, psicológicos ou verbais); problemas financeiros ou em relacionamentos; depressão; ansiedade; distúrbios do sono; transtorno de estresse pós-traumático (TEPT);excessiva preocupação com o que os outros pensam sobre você; fracas habilidades de enfrentamento; estresse crônico; transtorno obsessivo-compulsivo (TOC); transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH); bipolaridade; transtorno explosivo intermitente; transtorno de personalidade limítrofe; dependência de álcool ou outras substâncias.

Temos pesquisas também tanto nas áreas médicas como psicológicas que nos mostram e nos esclarecem que a raiva pode causar: maiores riscos de sofrer um ataque cardíaco e desenvolver doenças cardíacas; derrame; enfraquecimento do sistema imunológico (o que aumenta a probabilidade de doenças e mal-estares frequentes); pressão alta; problemas de pele; prejuízos aos pulmões; piora nos sintomas de ansiedade; dores crônicas; problemas de memória; insônia; problemas gastrointestinais; redução da longevidade.

O neurocirurgião Fernando Gomes explica o que acontece com o cérebro durante ataques de raiva, como por exemplo: “O homem trabalhava numa empresa, foi mandado embora, saiu e causou danos em pelos menos 50 carros da própria empresa. Aqui houve o descontrole total da raiva.

E como fazer do descontrole o controle? Segundo a psiquiatra Carol Bernstein, professora da Escola de Medicina em Nova York, se a pessoa achar que está muito mal-humorada, irritada, rabugenta e com o pavio curto, pode estar com depressão. O primeiro passo é procurar uma terapia para tratar do problema. No entanto, outras coisas podem fazer você se sentir melhor e diminuir a raiva, mesmo se seu quadro não for de depressão. Veja a seguir o que fazer, segundo o site Health.com.

Contar até 10 (ou 100) Thomas Jefferson disse a famosa frase: “Quando se está zangado, conte até 10 antes de falar. Se estiver muito irritado, vá até o 100”. Segundo o professor de Comunicação e Psicologia da Universidade de Ohio, Brad Bushman, pessoas irritadas ficam altamente excitadas e acabam dizendo coisas que mais tarde vão se arrepender. Ao contar lentamente, a sua pressão arterial e cardíaca tem a chance de voltar ao normal, diminuindo a excitação.

Perdoe Mesmo se você não esquecer o incidente, em última análise, perdoar uma pessoa que o tenha provocado é uma excelente maneira de dominar a raiva. O perdão pode ajudá-lo a parar de “ruminar”, quando os pensamentos não saem da sua cabeça como um pesadelo. “Isso não significa que você tenha de achar que o quê o outro lhe fez é bom, apenas vai ajudar você a parar de se consumir pela raiva”.

Tente se distrair Outra maneira de aplacar a raiva é buscar uma distração. Podem ser palavras-cruzadas, desenhar, cozinhar, andar com o cachorro. Antes de tentar resolver o problema, o diretor de medicina comportamental Kueny, da Universidade de Nebraska, afirma que a pessoa deve avaliar o quanto está irritada. Se numa escola de 1 a 10 ela considerar valores entre 5 e 10 o melhor, é se distrair antes de tomar uma decisão.

Respire profundamente Respirar de forma profunda é uma boa maneira de acalmar-se, já que respirações lentas vão abrandar o ritmo cardíaco. De acordo com a Sociedade Americana de Psicologia, o ideal é fazer respirações por meio do diafragma, e não aquelas pequenas, que somente enchem o peito com pouco ar. Ouvir música calma e praticar exercícios de relaxamento muscular também podem ajudar.

Não negue que está irritado Pessoas que são capazes de discernir que estão com raiva e que lidam com esse sentimento são menos propensas a recorrer à agressividade ou violência. Quem consegue decodificar suas emoções está mais sintonizado com seu interior. Assim, quando esses indivíduos estão bravos, são mais rápidos para lidar eficazmente com as emoções negativas e para distrair-se menos com ineficientes estratégias de enfrentamento, como consumo excessivo de álcool ou abuso de outras substâncias.

Escreva sobre o problema Escrever permite que você abrande o sentimento ruim e ajude a pensar qual a melhor forma de lidar com o problema. Quando você reage imediatamente a algo, a decisão é baseada na emoção. Mas quando para um pouco para pensar, escrevendo, a chance de resolver da melhor forma é muito maior.

Não faça tempestade em copo d’água Em vez de sair gritando, tente se acalmar no quarto e fazer algo para dissipar a raiva, como ler um livro ou escutar uma música. Depois que você estiver se sentindo mais calmo, é hora de conversar e colocar tudo em pratos limpos.

Faça exercícios O exercício aeróbico, incluindo caminhada rápida ou corrida, pode ser uma ótima maneira de lidar com a raiva. Quando você prática exercício libera adrenalina, respira de forma mais ofegante – sensações bem parecidas com a raiva. No entanto, vai perceber que tais sintomas não estão ligados a um sentimento ruim, mas a algo bom. A atividade física também libera endorfinas (substâncias químicas) no cérebro, que ajudam a nos acalmar e a gerir as nossas emoções.

Pratique a compaixão Fazer algo de bom para alguém de quem você está com raiva parece incompatível. No entanto, pesquisas mostram que a compaixão pode também dissipar a raiva da outra pessoa. Um estudo recente descobriu que responder solidariamente quando um colega lhe trata de forma ríspida é uma boa forma de resolver uma situação tensa.

Não envie mensagens quando você está com raiva Nunca, jamais, envie um e-mail quando você está realmente chateado. Não escreva a mensagem por pelo menos 24 horas. Você vai ver que isso lhe dá tempo para elaborar uma resposta sensata e racional para a situação.

Tente ser grato Pesquisas mostram que o simples fato de mostrar gratidão por algo faz com que a pessoa fique mais feliz e contente. Claro que isso parece impossível quando se está bravo. Você não precisa ser grato a quem lhe ofendeu, mas você poderia ser grato por outras coisas na sua vida, grandes e pequenas. Pesquisadores da Universidade da Califórnia dizem que praticar a gratidão constante pode até melhorar a saúde.

Espere para falar Medir o quão intensa está a sua raiva antes de começar a despejar sua ira é uma boa forma de evitar entrar numa discussão. Você não deve falar quando está com raiva. É melhor parar e dar um tempo. Quando você achar que sua raiva é gerenciável e você pode efetivamente expressá-la sem ser destrutivo, está na hora de lidar com a situação.

Faça uma oração Pesquisadores mostram que, se a pessoa conseguir rezar pelo outro que a deixou com raiva, acaba conseguindo abrandar um sentimento ruim. A oração faz com que você dissipe seus pensamentos negativos. Se você não gosta de rezar, tente gastar alguns minutos pensando de forma sensata sobre aquilo que lhe deixou com ódio.

Além disso, em alguns casos, se a raiva for persistente a ponto de interferir no seu cotidiano, desviando sua produtividade e relações afetivas em geral, pode ser necessário o acompanhamento psiquiátrico e/ou psicológico.

Nós não precisamos fugir desse sentimento. A raiva pode ser normal e positiva. É necessário para nossa sobrevivência, nos faz indignar e buscar alternativas. Mas claro que esse sentimento só é saudável quando está sob o nosso controle. Fora de controle ataca o nosso organismo, trazendo sintomas de hipertensão e diabetes. Agora, se tentarmos reprimi-la, podemos ter sintomas de depressão e ansiedade.

“A raiva é um ácido que pode causar mais danos ao recipiente em que está armazenada do que a qualquer coisa em que seja derramada.” — Mark Twain

Conquistah Consultoria Psicológica ✆ +55 (11) 98904.5112 ✓ www.conquistahconsultoriapsicologica.com CNPJ 36.586.648/0001-39 – CRP/SP 06/8377J



67 visualizações

Posts recentes

Ver tudo